domingo, 13 de novembro de 2011

Como tudo começou....




Enfrentar um câncer é uma batalha difícil para qualquer pessoa...ainda mais eu, superativa que até então só tinha olhos para trabalho, casa, filhos, marido...(quem é casada com filhos na escola sabe bem disto)...correria total, afinal meu horário de trabalho era com inicio as 7.30 da manhã em Palhoça e para quem mora em Biguaçu sabe como eu o quanto temos de acordar cedo, sempre por volta das 5.00 da manhã, mas nada disto me incomodava, porque sempre gostei daquilo que fazia e se Deus quiser e ele há de querer, ainda vou voltar neste pique todo um dia novamente.

Resolvi criar esse blog para compartilhar minha experiência com outras mulheres que estejam passando por um momento tão delicado como o meu e também para que os meus amigos possam acompanhar esta minha jornada....
Bem, desde a minha adolescência sempre tive mamas densas e displásicas (doloridas) , tinha sonhos de num futuro poder fazer uma cirurgia de redução de mamas. Fazia meus exames anuais entre eles a USG e a mamografia (esta me doía muito, já que as mamas eram displásicas).... Os resultados eram sempre os mesmos: MAMAS DENSAS / ALTERAÇÕES FIBROCÍSTICAS DAS MAMAS / IMAGENS NODULARES DE ASPECTO BENIGNO BILATERALMENTE....era sempre assim, minha médica que era minha ginecologista me dizia de que era normal e me solicitava para repetir como sempre os exames em um ano dali pra frente.
Em março do ano passado quando fiz novamente estes exames, o resultado não se modificava muito, apenas mencionou nódulo em ambas as mamas categoria BI-RADS II.
Em dezembro do mesmo ano, como até então não havia sentido nenhum destes nódulos palpáveis que sempre saíam nas USGs , me examinando senti algo assim como um grão de arroz, não dei muita atenção, já que toda a minha vida nos meus exames sempre falava que tinha nódulos, cistos, mas tudo com aparências benignas. Fui novamente na minha médica, a qual me solicitou uma UGS das mamas e o resultado não foi diferente, apenas mudou o grau do BI-RADS de II para III. Neste caso ela me solicitou um acompanhamento em seis meses, pois a categoria III significa PROVAVELMENTE BENIGNO, e acompanhamento para cada 6 meses e depois anual, ela me falou para não me preocupar e assim fiz já que meus exames eram sempre assim podemos dizer "altos e baixos" fiquei tranquila.
Pois então, em maio de 2011 notei que aquele grão de arroz ME PARECIA que havia se transformado em um bago de feijão, aguardei mais um pouco e resolvi marcar uma consulta com uma mastologista Dr(a) Maria Luíza Nagel. Eu tenho uma pastinha de capa dura preta com plásticos por dentro e ali guardo todos os exames que faço e a levei junto. Esta médica não me pediu mais uma USG e sim uma biópsia deste que eu falava um bago de feijão que já pela aparência estava mais para um bago de azeitona, porque parece que tinha se desenvolvido. E veio aquela tensão da espera do resultado, só Deus sabe, a gente pode até pensar que é algo maligno, mas não queremos acreditar. Me aprofundei mais ainda no trabalho e tentei não pensar muito. A Sonitec me deu um prazo de 7 dias para o resultado, mas acabou levando 10 dias. O resultado ficou pronto no dia 17 de julho. Sempre fui uma pessoa que quando pegava resultados de exames já pesquisava na Internet para ficar sabendo do que se tratava, por incrível que pareça este foi o único exame que eu não consegui abrir e deixei para abrir junto com a médica e quando ela abriu me olhou e me disse: EU JÁ SABIA, SÓ QUERIA TER CERTEZA...." CARCINOMA" , desabei a chorar, fiquei sem chão, não tive mais condições de voltar dirigindo meu carro, tremia o tempo todo, quem já passou por um momento deste sabe como é....Mas a médica me abraçou com todo o carinho e me disse: Agora vamos correr contra o tempo, coragem, fé, quero te ver firme nesta jornada. Isto foi no dia 18 de julho de 2011 (acho que o pior dia da minha vida).
Agora correria para cirurgia, visto que não tinha nenhum plano de saúde e ela teria de ser feita pelo SUS. Meio conturbada ainda, depressiva e naquela fase do POR QUE EU? sabia que tinha de apelar para tudo e para todos. Sempre fui uma pessoa onde tudo era para ontem e agora era obrigada a esperar porque pelo SUS tudo é demorado. Ai...que fase complicada para mim. Nesta hora minha família foi e é meu alicerce e meu porto seguro, meu marido, minhas filhas Thaíse e Nathalia, meu pais e sem contar meus amigos que me deram muita força, não vou citar o nome deles para não ser injusta, mas cada um de vocês sabe a importância que tem para mim...Acho que se não fosse por todos me apoiando nesta hora eu teria desmoronado...Logo eu, que sempre fui conselheira para todos, alegre, feliz, contando piadas e agora me vendo nesta situação sem chão....





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário